Por pouco

Foi angustiante acompanhar o problema enfrentado pelo migre.me, o encurtador brasileiro mais popular de URLs, na semana que passou. Imaginei como seu criador, o Jonny Ken, poderia admitir, em horas, que um trabalho de mais de um ano estava indo por água abaixo. Por outro lado, foi uma boa surpresa  ver como ele reagiu em meio ao caos.


Para dar uma satisfação aos seus usuários, Ken  gravou um vídeo, postado no YouTube, explicando as falhas ocorridas. Visivelmente emocionado, fez o que muitas organizações custam a fazer, em situações proporcionalmente semelhantes, para admitir: “Eu errei. Peço desculpas”. Por sorte, e com o apoio de quem se identificou com seu problema, o migre.me retornou ao ar, já contando com a recuperação de boa parte dos seus dados.

Não conheço Ken, mas espero que os usuários brasileiros recuperem a credibilidade no serviço, pois seu responsável aprendeu seguramente muitas lições: ele não sabia tudo o que pensava saber sobre a área em que atuava, como revela no primeiro vídeo (no segundo, ele já anuncia a recuperação do migre.me), e colocar a cara à tapa pode não ser a mais agradável das decisões, mas demonstra que há transparência e a intenção para se resolver um problema. 

Mais informações Estadão: Migre.me recupera dados Época: O triste desastre do Migre.me, e a hombridade de seu criador

#migreme #transparência

Posts recentes

Ver tudo

E o besouro voou

Com o encerramento da produção do Fusca, no México, a Volkswagen se despediu do modelo com um vídeo bastante emocionante. Sob o título "A última milha" (The Last Mile), a animação traz uma série de re

©2018 by EduMarketing